Identidades de gênero em trajetórias textuais relacionadas ao Movimento Escola Sem Partido

que ideologias são refratadas sob o viés de uma pretensa neutralidade científica?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i2.1571

Palavras-chave:

Escola Sem Partido, Trajetórias textuais, Ideologias, Identidades de gênero

Resumo

Tomando como pressuposto a natureza ideológica dos enunciados (VOLÓCHINOV, 2017 [1929]) e partindo de uma perspectiva indisciplinar de Linguística Aplicada (MOITA LOPES et al, 2006), o presente artigo se propõe a olhar para trajetórias textuais relacionadas ao Movimento Escola Sem Partido (MESP) para criar inteligibilidades sobre ideologias relacionadas a identidades de gênero refratadas em diferentes manifestações discursivas acerca deste movimento. A análise foca em postagens do MESP realizadas em seu perfil no Facebook e em textos disponibilizados no site escolasempartido.org, que abordam concepções relativas ao que defensores/as do movimento pejorativamente classificam como “ideologia de gênero”. Nossas interpretações apontam que, sob o viés de uma pretensa neutralidade, as (inter)ações do MESP deslegitimam conhecimentos, vidas, experiências e corpos que fogem da lógica heteronormativa eurocêntrica, alijando do processo educacional questões relacionadas à gênero, sexualidade, raça e suas intersecções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Paula Marques Beato-Canato, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Paraná, Brasil

Docente do curso de Letras Inglês e do Programa de Pós-Graduação em Letras na Universidade Federal do Paraná (UFPR), é mestre e doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina e pós-doutora em Linguística Aplicada pelo Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Linguística Aplicada (UFRJ). Atualmente, seus focos de investigação são: discursos sobre educação e discurso de ódio; análise de materiais didáticos; formação de professores e ensino-aprendizagem de línguas.

Paula Tatianne Carréra Szundy, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Professora Adjunta do Departamento de Letras Anglo-Germânica e professora permanente do Programa de Pós-Gradução Interdisciplinar em Linguística Aplicada da UFRJ; presidente da Associação de Linguística Aplicada do Brasil (biênio 2016-2017); áreas de interesse: ensino-aprendizagem de línguas adicionais, formação de professores, práticas de letramento no ensino básico e/ou superior.

Referências

ALMEIDA, R. A onda quebrada – evangélicos e conservadorismo. Cad. Pagu, n. 50, e175001, 2017. Disponível em: http://ref.scielo.org/5zqkb7. Acesso em: 12 jul. 2021.

BEATO-CANATO, A. P. M.; MARTINEZ, J. Z.; FERNANDEZ, A. C. Desafios no ensino de línguas na contemporaneidade: da BNCC ao Escola Sem Partido. Revista X, v. 15, n. 5, p. 46-73, 2020.

BELILI, I. A cruzada moral contra os direitos humanos no Brasil [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed 11 December 2018]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/07/19/a-cruzada-moral-contra-os-direitos-humanos-no-brasil/

BENTO, B. Necrobiopoder: Quem pode habitar o Estado-nação? Cad. Pagu, n. 53, Campinas, 2018, Epub, 11 jun. 2018.

BLOMMAERT, J. Discourse: a critical introduction. Cambridge University Press, 2005.

CARR, S. E.; LEMPERT, M. (orgs.). Scale: discourse and dimensions of social life. Oakland: University of California Press, 2016.

CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. Prologo. In: CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. (orgs.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007. p. 9-24.

COMISSÃO ARNS. https://comissaoarns.org/. 2019. Acesso em: 12 jul. 2021.

JESUS, J. G. Homofobia – Identificar e prevenir. Rio de Janeiro: Metanoia Editora, 2015.

EAGLETON, T. Ideologia: uma introdução. Boitempo: 1997, Kindle Edition.

ESCOLA SEM PARTIDO. Disponível em: www.escolasempartido.org. Acesso em: 1 nov. 2018.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. São Paulo: Paz e Terra, 2015 [1967]), Kindle Edition.

FREIRE, P. Opressão, classe e gênero. Entrevista concedida a Donaldo Macedo. In: FREIRE, P. Pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo: Paz & Terra, 2014 [1998].

FRIGOTTO, G. “A gênese das teses do Escola Sem Partido: esfinge e ovo de serpente que ameaçam a sociedade e a educação”. In: FRIGOTTO, G. (Org.). Escola “Sem” Partido: esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: LPP/UERJ, 2017, p. 17-34.

GALLEGO, E. S. et.al. O Ódio como Política: A Reinvenção das Direitas no Brasil.

Boitempo Editorial, 2018. E-Book.

GROSFOGUEL, R. Decolonizing post-colonial studies and paradigms of political-economy: transmodernity, decolonial thinking, and global coloniality. TRANSMODERNITY: Journal of peripheral cultural production of the luso-hispanic world. 2011.

MIGUEL, L. F. A reemergência da direita brasileira. GALLEGO, E. S. et.al. (orgs.). O Ódio como Política: A Reinvenção das Direitas no Brasil. Boitempo Editorial, 2018. E-Book

MISKOLCI, R. Exorcizando um fantasma: os interesses por trás do combate à “ideologia de gênero”. Cad. Pagu, v. 53, 2018.

MOITA LOPES, L. P. (ed.). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

MOITA LOPES, L. P.; FABRÍCIO, B. F. (2019). Por uma ‘proximidade crítica’ nos estudos em Linguística Aplicada. Calidoscópio, v. 17, n. 4, p. 711–723.

MOURA, F. P. de. Escola Sem Partido: origens e ideologias. Ciência hoje, 06 fev. 2019. Disponível em: https://cienciahoje.org.br/artigo/escola-sem-partido-origens-e-ideologias/. Acesso em: 12 jul. 2021.

PENNA, F. A. Ódio aos professores. In: AÇÃO EDUCATIVA ASSESSORIA, PESQUISA E INFORMAÇÃO (Org.). A ideologia do Movimento Escola sem Partido - 20 autores desmontam o discurso. São Paulo: Ação Educativa, p. 93-100, 2016.

PINHEIRO-MACHADO, R.; SCALCO, L. M. Da esperança ao ódio: juventude, política e pobreza do lulismo ao bolsonarismo. Revista IHU online, 04 out. 2018. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/583354-da-esperanca-ao-odio-juventude-politica-e-pobreza-do-lulismo-ao-bolsonarismo. Acesso em: 12 jul. 2021.

RIBEIRO, M. O Partido do “Escola Sem Partido”. Em: Observatório do Ensino Médio. 26 mar. 2017. Disponível em: http://www.observatoriodoensinomedio.ufpr.br/o-partido-do-escola-sem-partido/. Acesso em: 01 jul. 2018.

RODRIGUES, M. F. “Ódio e censura são baseados no medo”, diz Judith Butler. Entrevistada: Judith Butler. Jornal Estadão, Cultura, 06 nov. 2017.

SILVERSTEIN, M.; URBAN, G. The natural history of discourse. In SILVERSTEIN, M; URBAN, G. (Eds.). Natural histories of discourse. Chicago and London: The University of Chicago Press, p.1-17, 1996.

SZUNDY, P. T. C.; FABRICIO, B. F. Linguística Aplicada e indisciplinaridade no Brasil: promovendo diálogos, dissipando brumas e projetando desafios. In: SZUNDY, P. T. C.; TÍLIO, R.; MELO, G. C. V. (Orgs.). Inovações e desafios epistemológicos em Linguística Aplicada: perspectivas sul-americanas. Campinas: Pontes Editores, 2019, p. 63-89.

VOLÓCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina V. Américo. Editora 34: 1929 [2017].

Downloads

Publicado

2021-11-18

Como Citar

Beato-Canato, A. P. M., & Szundy, P. T. C. (2021). Identidades de gênero em trajetórias textuais relacionadas ao Movimento Escola Sem Partido: que ideologias são refratadas sob o viés de uma pretensa neutralidade científica?. Revista Da Anpoll, 52(2), 238–261. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i2.1571