Sotaque americano/britânico no Brasil

fetiche bovarista

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i2.1566

Palavras-chave:

Fonética, Linguística Aplicada, Psicanálise, Fetiche, Inglês

Resumo

O presente artigo versa sobre uma articulação entre Linguística Aplicada e Psicanálise para problematização das noções de pronúncia e sotaque em língua inglesa por falantes de língua portuguesa do Brasil. Em nossa leitura, a ideia amplamente difundida de ‘pronúncia perfeita’ em inglês pode adquirir o estatuto de objeto-desejo, dentro das relações de fetichismo do sujeito psicanalítico. Dessa forma, procuramos analisar, por meio de corpus retirado dos ambientes digitais, como as representações sobre produção oral em inglês podem interferir nas práticas de ensino-aprendizagem da língua, sendo problematizadas pelo espectro da psicanálise freudo-lacaniana. Resultados apontam para a constituição da relação fetichista implicando necessariamente três dimensões: língua estrangeira, objeto-desejo e estereótipos culturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Renan Kenji Hayashi Hayashi, Unicamp

Professor universitário (ESAMC/Campinas).

Doutor em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). 

Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade de Brasília (UnB). 

Tradutor. 

Referências

BERTOLDO, Ernesto Sergio. O contato-confronto com uma língua estrangeira: a subjetividade do sujeito bilíngue. In: CORACINI, M. J., (Org.). Identidade e Discurso. Campinas: Editora Unicamp, 2003. p. 83-118.

BHABHA, Homi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

CORACINI, Maria José. Língua estrangeira e língua materna: uma questão de sujeito e identidade. In: CORACINI, M. (Orgs.). Identidade e discurso. Campinas : Argus e Editora da Unicamp, 2003. p. 139-159.

CORACINI, Maria José. A celebração do outro: arquivo, memória e identidade: línguas (materna e estrangeira), plurilingüismo e tradução. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2007.

CORACINI, Maria José. Entre a memória e o esquecimento. Fragmentos de uma história de vida. IN: CORACINI, Maria José; GHIRALDELO, Claudete. (orgs.). Nas malhas do discurso: memória, imaginário e subjetividade – formação de professores (língua materna e estrangeiras), leitura e escrita. Campinas: Pontes Editora, 2011.

FREUD, Sigmund. (1905). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In: FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 6: Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, análise fragmentária de uma histeria (“O caso Dora”) e outros textos (1901-1905). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

FREUD, Sigmund. (1914). Recordar, repetir e elaborar. In: FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 10: Observações psicanalíticas sobre um caso de paranoia relatado em autobiografia ("O caso Schreber", 1911). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

FREUD, Sigmund (1915). Os instintos e seus destinos. In: FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 12: Introdução ao narcisismo, ensaios de metapsicologia e outros textos (1914-1916). Tradução e notas de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

FREUD, Sigmund. A pulsão e seus destinos. Tradução de Pedro Heliodoro Tavares. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2017.

FREUD, Sigmund (1920). Além do princípio do prazer. In: FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 14: História de uma neurose infantil (“O homem dos lobos”), além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

FREUD, Sigmund (1921). Psicologia das massas e análise do eu. In: FREUD, Sigmund. Obras completas, volume 15: Psicologia das massas e análise do eu e outros textos (1920-1923). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

KEHL, Maria Rita. Bovarismo brasileiro: São Paulo: Boitempo, 2018.

LACAN, Jacques (1956-1957). O Seminário, Livro 4: A relação de objeto. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1995.

MARX, Karl. O Capital. São Paulo: Centauro Editora, 2005.

MIZUBAYASHI, Akira. Une langue venue d’ailleurs. Paris: Gallimard, 2010.

MOITA LOPES, Luís Paulo. Linguística aplicada e vida contemporânea. In: MOITA LOPES, L. P.; FABRÍCIO, B. F. (Orgs.). Por uma linguistica aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006, p. 85-107.

MORAES, Maria Rita Salzano. Língua, Tradução e Psicanálise. In: COSTA, Walter (org.). Psicanálise entre línguas. Rio de Janeiro: 7 letras, 2016, p. 27-37.

PRASSE, Jutta. O desejo das línguas estrangeiras. Revista Internacional, Rio de Janeiro, n. 1, Companhia de Freud Editora, p. 63-73, 1997.

RAJAGOPALAN, K. Linguistics and the myth of nativity: comments on the controversy over “new/non-native Englishes”. Journal of Pragmatics, v. 27, p. 225-231, 1997.

RAJAGOPALAN, K. Repensar o papel da linguística aplicada. In: Luiz Paulo da Moita Lopes. Ed. Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006, p. 149-168.

REVUZ, Christine. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio. In: SIGNORINI, Inês. (Org.) Língua(gem) e identidade. 2. ed. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2001. p. 213-230.

SAFATLE, Vladimir. Lacan. São Paulo: Publifolha, 2007.

Downloads

Publicado

2021-11-18

Como Citar

Hayashi, R. K. H. (2021). Sotaque americano/britânico no Brasil: fetiche bovarista. Revista Da Anpoll, 52(2), 196–217. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i2.1566