Literatura e(m) discurso

Borges e as (sub)versões da história

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i2.1540

Palavras-chave:

Literatura, Análise de Discurso, Imaginário, História, Jorge Luis Borges

Resumo

Este artigo retoma os escritos de Jorge Luis Borges (1899-1986), aqui analisado sob a ótica da teoria da Análise de Discurso Francesa, de Pêcheux e Orlandi. Centramo-nos na obra Ficções, e mais especificamente em dois contos nela presentes: Três Versões de Judas e Tema do Traidor e do Herói. Interessa-nos investigar e compreender o modo de funcionamento do imaginário, segundo a perspectiva discursiva, em especial na relação com a história dita oficial. Ao cabo de nossas pesquisas, fomos dar de encontro aos livros e à história: ambos funcionando como subsidiários do citado imaginário e também da formulação do autor argentino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Júlio César Martins Santos, Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, Minas Gerais, Brasil

Graduando em Letras - Português/Inglês. Possui graduação em Farmácia, na Universidade do Vale do Sapucaí (2014). Tem como áreas principais de interesse Literatura, especialmente a Ibero-americana, Análise de Discurso de linha francesa e demais estudos linguísticos.

Atilio Catosso Salles, Universidade do Vale do Sapucaí, Pouso Alegre, Minas Gerais, Brasil

Possui graduação em Letras pela Universidade Estadual de Mato Grosso (2012), Mestrado em Ciências da Linguagem pela Universidade do Vale do Sapucaí (2014) e Doutorado em Ciências da Linguagem pela Universidade do Vale do Sapucaí (2017). Realizou estágio de Pós-Doutorado (CAPES/PNPD) no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Univás (2017-2018). Atualmente é professor adjunto do Programa de Pós-Graduação em Educação, Conhecimento e Sociedade da Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS). Integra projetos de pesquisa interinstitucionais, em âmbito nacional e internacional, como participante e líder. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: Análise de Discurso, processos de significação da performance, memória, narratividade fílmica, arte e discurso, efeito presença e corpo, ensino e avaliação. Sua tese "Corpo-em-arte: sujeito, presença e performance" recebeu menção honrosa do Prêmio ANPOLL (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística) de Teses e Dissertações: Luiz Antônio Marcuschi (2018). Em 2018 publicou o livro Discurso e performance. Orienta pesquisas na área de Educação, Linguagem e Sociedade, nas linhas de Ensino, Linguagem e Formação Humana, Educação e Tecnologia: inovação, ferramentas e processos e Políticas Públicas e Gestão. É vice-diretor da Editora Univás.

Referências

ALMEIDA, E. de. Na relação língua/poesia: as versões dos Brasis e sujeitos nacionais. Fragmentum. Santa Maria: Programa de Pós-Graduação em Letras, UFSM, n. 47, Jan./Jun. 2016. ISSN 2179-2194 (online). p. 131-140.

BORGES, J. L. Ficções. Tradução Carlos Nejar. 1. ed. Porto Alegre: Abril Cultural, 1972.

BORGES, J. L. Nove ensaios dantescos & A memória de Shakespeare. Tradução Heloísa Jahn. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

BORGES, J. L. O Aleph. Tradução Davi Arriguci Jr. 7. reimp. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

BORGES, J. L. O informe de Brodie. Tradução Hermilo Borba Filho. 1. ed. Rio de Janeiro: Globo, 1976.

BORGES, J. L. O pensamento vivo de Jorge Luis Borges. São Paulo: Martin Claret, 1987.

ENTREVISTA a Jorge Luis Borges, Mario Vargas Llosa. 1963. Disponível em: https://ddooss.org/textos/entrevistas/entrevista-a-jorge-luis-borges-5 Acesso em: 14 jan. 2021.

FEDATTO, C. P. Discurso e Literatura: Algumas reflexões. In: Memória, história, arquivo: fronteiras e intersecções. Vol. 2 [recurso eletrônico] / [organizadores] Fabiele S. de Nardi, Ricardo Postal. – Recife: Editora UFPE, 2015.

MAGALHÃES, B.; MARIANI, B. Processos de subjetivação e Identificação: ideologia e inconsciente. Linguagem em (Dis)curso, Palhoça, SC, v. 10, n. 2, p. 391-408, maio/ago. 2010

MARIANI, B. Subjetividade e imaginário linguístico. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 3, Número Especial, p. 55-72, 2003.

MARX, K. O 18 de Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

MUALEM, S. El Proteo Literario: La Imagen de Shakespeare en la obra de Jorge Luis Borges. Latin American Literary Review, Vol. 34, No. 68 (Jul. - Dec., 2006), pp. 83-105.

ORLANDI, E. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. 10. ed. Campinas: Pontes, 2012.

ORLANDI, E. Discurso e texto. 3. ed. Campinas, SP: Pontes, 2008.

ORLANDI, E. Discurso fundador: a formação do país e a construção da identidade nacional. 2ª edição. Campinas: Pontes, 2001.

PADRÃO, A. A teologia e a literatura de Borges: um diálogo. In: FERRAZ, S., et al.,orgs. Deuses em poéticas: estudos de literatura e teologia. Belém: UEPA; Campina Grande: EDUEPB, 2008. p. 111-124.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. 6. ed. Campinas: Pontes, 2012.

PÊCHEUX, M. Análise Automática do Discurso (AAD – 69). In: GADET, F.; HAK, T. (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. 5. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2014.

TODOROV, T. Introdução à literatura fantástica. 4. ed. São Paulo: Perspectiva, 2017.

Downloads

Publicado

2021-11-18

Como Citar

César Martins Santos, J., & Catosso Salles, A. (2021). Literatura e(m) discurso: Borges e as (sub)versões da história. Revista Da Anpoll, 52(2), 178–195. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i2.1540