Norma, variação e mudança linguísticas nas apresentações das gramáticas de Costa Duarte (1829), Manuel Beserra (1861) e Julio Ribeiro (1881)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i1.1503

Palavras-chave:

Historiografia da Linguística, Sociolinguística Variacionista, Gramáticas Brasileiras oitocentistas

Resumo

Nossa pesquisa ancora-se nos estudos da Historiografia da Linguística (KOERNER, 1996, 2014a, 2014b; SWIGGERS, 2013, 2015, 2019; MURRAY, 1994) e da Sociolinguística Variacionista (HERNANDEZ CAMPOY; ALMEIDA, 2005; CAMACHO, 2013). Neste artigo, nosso objetivo principal foi analisar como gramáticas brasileiras oitocentistas apresentavam os conceitos de norma, variação e mudança linguísticas relacionados à abordagem da língua portuguesa. Tomamos como fontes primárias as gramáticas de Costa Duarte (1829), Manuel Beserra (1861) e Julio Ribeiro (1881), das quais selecionamos para análise as apresentações. Como resultados, destacamos que, a despeito da ausência de um paradigma variacionista estabelecido nas obras brasileiras do século 19, já encontramos a abordagem da norma tanto numa perspectiva “idealista” quanto “descritivista”, a variação diastrática em evidência e a mudança linguística enquanto transformações e aperfeiçoamentos na língua ao longo do tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Emily Gonçalves de Medeiros Ferreira, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Mestranda em Linguística no Programa de Pós-Graduação em Linguística (PROLING) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Referências

BESERRA, M. S. S. Compendio de Grammatica Philosophica. Ceará: Typographia Social, 1861.

BORGES NETO, J. Gramática tradicional e linguística contemporânea: continuidade ou ruptura. Todas as Letras, v. 14, n. 1, 2012.

CAMACHO, R. G. Da linguística formal à linguística social. São Paulo: Parábola, 2013.

COSTA DUARTE, A. Compendio da Grammatica Portugueza para uso das Escolas de Primeiras Letras. Maranhão: Typographia Nacional, 1829.

ELIA, S. Os estudos Filológicos no Brasil. In: ELIA, S. Ensaios de Filologia e Linguística. 2. ed. Rio de Janeiro: Grifo, 1975. p. 117-176.

FIORIN, J. L. Língua portuguesa, identidade nacional e lusofonia. Confluência, Rio de Janeiro, n. 33/34, 2o sem. 2007 / 1o sem. 2008, p. 53-68.

GUEIROS, L. Da emergência à consolidação da tradição sociodiscursiva na pesquisa linguística brasileira e suas implicações para a reflexão sobre ensino de língua portuguesa. Tese (Doutorado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019.

HERNÁNDEZ CAMPOY, J. M.; ALMEIDA, M. Metodología de la Investigación Sociolingüística. Granada: Comares, 2005.

KOERNER, E. F. K. A importância da historiografia linguística e o lugar da história nas ciências da linguagem. In: KOERNER. E. F. K. Quatro décadas de historiografia linguística: estudos selecionados. Trás-os-Montes e Alto Douro: Centro de Estudos em Letras, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 2014a. p. 9-15.

KOERNER, E. F. K. Questões que persistem em historiografia linguística. Revista da ANPOLL, n. 2, p. 45-70, 1996.

KOERNER. E. F. K. Historiografia Linguística. In: KOERNER. E. F. K. Quatro décadas de historiografia linguística: estudos selecionados. Trás-os-Montes e Alto Douro: Centro de Estudos em Letras, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 2014b. p. 17-28.

MURRAY, S. O. Theory Groups and the Study of Language in North America: a Social History. Amsterdã: John Benjamins, 1994.

RIBEIRO, J. Grammatica Portugueza. São Paulo: Typographia de Jorge Seckler, 1881.

SWIGGERS, P. A historiografia da linguística: objeto, objetivos, organização. Confluência, Rio de Janeiro, n. 44-45, p. 39-59, 2013.

SWIGGERS, P. Directions for linguistic historiography. Cadernos de Historiografia Linguística do CEDOCH: VII MiniEnapol de Historiografia Linguística (2013). São Paulo, v. 1, p. 8-17, 2015.

SWIGGERS, P. Historiografia da Linguística: princípios, perspectivas, problemas. In: BATISTA, R. de O. Historiografia da Linguística. São Paulo: Contexto, 2019. p. 45-80.

VIEIRA, F. E. A gramática tradicional: história crítica. São Paulo: Parábola Editorial, 2018.

VIEIRA, F. E. Gramáticas Brasileiras Contemporâneas do Português: linhas de continuidade e movimentos de ruptura com o paradigma tradicional de gramatização. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.

Downloads

Publicado

2021-05-31

Como Citar

Medeiros Ferreira, E. G. de. (2021). Norma, variação e mudança linguísticas nas apresentações das gramáticas de Costa Duarte (1829), Manuel Beserra (1861) e Julio Ribeiro (1881). Revista Da Anpoll, 52(1), 220–235. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v52i1.1503

Edição

Seção

Estudos Linguísticos (2021)