O papel das noções de causação interna e controle na representação dos verbos dinâmicos monoargumentais

Pablo Nunes Ribeiro

Resumo


Este artigo discute o papel das noções de causação interna e controle na representação léxico-conceitual de algumas subclasses de verbos dinâmicos monoargumentais, como os verbos de modo de movimento (p. ex., correr, rolar), de processos corporais (p. ex., rir, espirrar) e de emissão (p. ex., chiar, apitar). Os objetivos são analisar como essas propriedades determinam a participação desses verbos no processo de causativização e propor uma maneira de representá-las na estrutura conceitual desses predicados, sob a luz da Semântica Conceitual (JACKENDOFF, 1983; 1990; 2002). Para tanto, são examinados alguns problemas da proposta de Jackendoff (1990) para o tratamento dos verbos de modo de movimento, de modo a mostrar que o autor não dá conta do comportamento desses verbos em relação à causativização. São discutidas também análises clássicas das noções de controle, causação interna e eventos acionais na semântica lexical, que servem como base para a proposta apresentada neste trabalho. A hipótese defendida é a de que a distinção entre os predicados primitivos MOVE e ACT, através dos traços de controle e causação interna, é crucial para que se possa representar adequadamente a estrutura léxico-conceitual das subclasses de verbos dinâmicos monoargumentais e dar conta de sua participação ou não na causativização.

Palavras-chave


Verbos dinâmicos monoargumentais; Controle; Causação interna; Causativização; Semântica conceitual

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i46.1072

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 Pablo Nunes Ribeiro

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.