Ordenação dos advérbios em -mente na Gazeta de Lisboa (séculos XVIII e XIX)

Autores

  • Susana Fontes Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) – Vila Real – Portugal

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i39.913

Palavras-chave:

Gazeta de Lisboa, Séculos XVIII e XIX, Advérbios em –mente, Ordenação, Gramaticalização

Resumo

O início da centúria setecentista ficou marcado pelo surgimento do primeiro periódico oficial português, a Gazeta de Lisboa, em 1715, que se constitui como um marco decisivo na nossa história. Um século volvido, Portugal continua a dispor deste importante órgão de informação, o que nos permitiu constituir um corpus de trabalho com cerca de um milhão de palavras, representativo do estado da língua durante estes dois séculos (XVIII e XIX). Neste artigo, auxiliados por ferramentas de linguística computacional (programas de análise automática de texto), pretendemos analisar os advérbios terminados em –mente presentes no texto e proceder à análise das diferentes posições ocupadas por este grupo de advérbios na frase, para podermos verificar se houve alguma mudança significativa neste percurso e de que forma a predominância de uma determinada posição poderá ter condicionado o próprio valor do advérbio. 



Creative Commons License 
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2015-12-31

Como Citar

Fontes, S. (2015). Ordenação dos advérbios em -mente na Gazeta de Lisboa (séculos XVIII e XIX). Revista Da Anpoll, 1(39), 141–153. https://doi.org/10.18309/anp.v1i39.913