A LITERATUTA INFANTO-JUVENIL COMO POSSIBILIDADES DE AFIRMAÇÃO DA IDENTIDADE NEGRA

Rita de Cássia Moser Alcaraz, Eugenia Portela de Siqueira Marques

Resumo


Este estudo identifica a literatura infantil - juvenil como artefato cultural, portador de estratégias discursivas, que informam e nos formam culturalmente para afirmar a identidade afro-brasileira, por meio de personagens que valorizam a cor da pele e os cabelos cacheados. A reflexão teórica crítica fundamenta-se nos estudos pós-coloniais que tensionam o currículo escolar e a colonialidade do saber. Consideramos que literatura infanto-juvenil tem função legitimadora de saberes na escola e na articulação desses no processo de descolonização das esferas institucionalizadas, as quais serviram/servem predominantemente na subjugação e subalternização dos povos colonizados. Por meio da reflexão crítica e decolonial do corpus documental que inseriu o ensino da História e Cultura Afro-brasileira no currículo escolar, selecionamos em algumas obras o protagonismo do ser negro. Elas ao impactarem a lógica hegemônica de base ocidental e eurocêntrica contribuem para a afirmação identitária da criança negra em um espaço de resistência e de descolonização à cultura da branquidade.

 

 

Creative Commons License 
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.


Palavras-chave


Descolonização; Literatura; Cultura do ser negra/o; Identidade negra

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i41.873

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2016 Rita de Cássia M. Alcaraz, Eugenia Portela de Siqueira Marques

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.