A literatura como antropologia especulativa

Autores

  • Alexandre Andre Nodari Universidade Federal do Paraná (UFPR)

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i38.836

Palavras-chave:

Antropologia, Literatura, Antropoceno, Catástrofe ambiental, Especulação

Resumo

Se décadas atrás, Lyotard identificou a crise de legitimação política e do conhecimento de então como a crise dos grandes relatos, talvez se possa dizer que a crise atual é uma crise do grande Relator: a crise das humanidades seria, assim, parte mais geral da crise do Humano. Diante do Antropoceno, as ciências do homem (as antropologias) têm como um dos seus desafios converterem-se em humanidades, isto é, especular sobre as definições de homem e mundo, descobrindo outras humanidades e mundos. Aqui, a literatura, entendida a partir de Juan José Saer como uma “antropologia especulativa”, pode revelar-se uma linha de fuga: diante do contingenciamento econômico das humanidades, ela apresenta a contingência ecológica desse modelo de mundo.

 


Creative Commons License 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alexandre Andre Nodari, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professor de Literatura Brasileira e Teoria Literária da UFPR

Downloads

Publicado

2015-11-28

Como Citar

Nodari, A. A. (2015). A literatura como antropologia especulativa. Revista Da Anpoll, 1(38), 75–85. https://doi.org/10.18309/anp.v1i38.836

Edição

Seção

I. RELATOS, TESTEMUNHOS