“Quem salvará nossos filhos?”

discursos sobre a “ideologia de gênero” na campanha eleitoral de 2018

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/ranpoll.v53i1.1600

Palavras-chave:

Análise do discurso, Gênero, Rede social, Política

Resumo

O artigo analisa discursos sobre a “ideologia de gênero” em postagens de redes sociais de candidatos no período eleitoral de 2018. O aparato teórico que conduz a investigação encontra respaldo, principalmente, nos estudos discursivos foucaultianos. O corpus é formado por quatro publicações em redes sociais de candidatos a cargos do Poder Legislativo (deputado estadual e federal), os quais se vinculavam à base aliada do então presidenciável Jair Bolsonaro. Sobre a metodologia, convém mencionar que se trata de um estudo descritivo-interpretativo de natureza qualitativa. As análises mostram que os discursos sobre a “ideologia de gênero” emolduram tal prática como um mal a ser combatido, especialmente porque deturpa valores da religião cristã e fere a inocência das crianças. Os candidatos inserem-se, portanto, numa posição de combate a tal “ideologia de gênero” e, a partir disso, buscam engajamento junto aos potenciais eleitores na web.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rafael Danrley Barra de Menezes, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, Rio Grande do Norte, Brasil

Mestre em Ensino (UFERSA). 

Francisco Vieira da Silva, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, Rio Grande do Norte, Brasil

Doutor em Linguística (UFPB). 

Referências

ALMEIDA, Ronaldo de. Bolsonaro presidente: conservadorismo, evangelismo e crise brasileira. Novos Estudos, v. 38, n.1, p. 185-213, jan./abr. 2019.

BÍBLIA SAGRADA. Sagrada Bíblia Católica: Antigo e Novo Testamentos. Trad. José Simão. São Paulo: Sociedade Bíblica de Aparecida, 2008.

BRANDÃO, Eliane Reis; LOPES, Rebecca Faray Ferreira. Não é competência do professor ser sexólogo: o debate público sobre gênero e sexualidade no Plano Nacional de Educação. Civitas, v. 18, n. 1, p. 100-123, jan./abr. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BUTLER, Judith. Judith Butler escreve sobre sua teoria de gênero e sua passagem pelo Brasil. Folha de S. Paulo, 2017.

CARVALHO, Celso do Prado Ferraz. Negação da política e politização da educação: a prática discursiva do Movimento Escola Sem Partido. Educação em Questão, v. 56, n. 50, p. 65-87, out./dez., 2018.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso político. Tradução de Fabiana Komesu e Dilson Ferreira da Cruz. São Paulo: Contexto, 2006.

COTTA, Rafaela; POCAHY, Fernando. Escola sem partido e sua maldita benevolência contra uma suposta ideologia de gênero: afinal, do que as crianças precisam ser protegidas? In: POCHAY, Fernando; CARVALHO, Felipe da Silva Ponte; COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro (Orgs.). Gênero, sexualidade e geração: intersecções na educação e/m saúde. Aracaju: EDUNIT, 2018, p. 221-236.

COURTINE, Jean Jacques. Metamorfoses do discurso político: as derivas da fala pública. Trad. Nilton Milanez e Carlos Piovezani Filho. São Carlos: Claraluz, 2006.

CUNHA, L. L. N. A antipolítica de gênero no governo Bolsonaro e suas dinâmicas de violência, Revista de Estudios Brasileños. v. 7, n. 10, 2020.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. 20. ed. Petrópolis: Vozes, 1999.

FOUCAULT. Michel. Ditos e Escritos IV: Estratégia, Poder-Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2020a.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J.A. Guilhon Albuquerque. 10. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2020b.

GOLDZWEIG, Rafael S. Por que devemos nos preocupar com a influência das redes sociais nas eleições de 2018? El País, 2018.

JUSTO, Gabriel. Pelo 12º consecutivo, Brasil é país que mais mata transexuais no mundo, Exame, 2020.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 4. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019, p. 7-42.

MACHADO, Maria das Dores Campos. O discurso cristão sobre a “ideologia de gênero”. Revista de Estudos Feministas, v. 26, n.2, p. 1-18, 2018.

MIGUEL, Luis Felipe. O mito da “ideologia de gênero” no discurso da extrema direita brasileira, Cadernos Pagu, v. 62, e216216, 2021.

MISKOLCI, Richard. Exorcizando um fantasma: os interesses por trás do combate à “ideologia de gênero”. Cadernos Pagu, n. 53, s.p., 2018.

PIOVEZANI, Carlos. Verbo, corpo e voz: dispositivos de fala pública e produção da verdade no discurso político. São Paulo: Ed. UNESP, 2009.

PIOVEZANI, Carlos. Metamorfoses do discurso político contemporâneo. Revista da ABRALIN, v. 6, n. 1, maio, 2017.

QUEIROZ, Antônio Augusto de. O Congresso mais conservador dos últimos quarenta anos, Le Monde Diplomatique Brasil, 2018.

SALDAÑA, Paulo. Motores de Bolsonaro, Escola sem partido e ideologia de gênero têm raízes religiosas, Folha de S. Paulo, 2018.

SARGENTINI, Vanice Maria Oliveira A análise do discurso e a natureza semiológica de análise. In GREGOLIN, Maria Rosário Valencise; KOGAWA, João Marcos Mateus. (Orgs.). Análise do discurso e semiologia: problematizações contemporâneas. Araraquara: Cultura Acadêmica, 2012, p. 101-120.

SARGENTINI, Vanice Maria Oliveira. Discurso político e redes sociais. Revista da ABRALIN, v. 14, n. 2, ago., 2015.

SCHIBELINSKI, Diego. “Isso é coisa do capeta!”: o papel da “ideologia de gênero” no atual projeto político de poder, Retratos da Escola, v. 14, n. 28, p. 15-38, jan./abr. 2020.

SILVA, Milena Mangabeira da. Comunicação política e redes sociais: produção discursiva dos senadores no Facebook sobre o impeachment de Dilma Rousseff. 2018, 137 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Territorialidades) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2018.

SOUSA, Jacyane Dantas; BRAGA, Amanda Batista. Da política e do esporte: a bandeira brasileira e as rupturas discursivas da identidade nacional. Entrepalavras, v. 11, n. 2, p. 1-21. maio/ago. 2021.

VEIGA NETO, Alfredo. Mais uma lição: sindemia covídica e educação, Educação e realidade, n. 45, v. 4, e109337, 2020.

XIMENES, Salomão; VICK, Fernanda. Fim de um ciclo: STF decide dar fim à ideia fraudulenta do Escola sem Partido, Diálogos do Sul, São Paulo, 06 de julho de 2020.

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

Danrley Barra de Menezes, R. ., & Vieira da Silva, F. (2022). “Quem salvará nossos filhos?”: discursos sobre a “ideologia de gênero” na campanha eleitoral de 2018. Revista Da Anpoll, 53(1), 177–198. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v53i1.1600

Edição

Seção

Estudos Linguísticos (2022)