Expressões idiomáticas e variação terminológica

possíveis interfaces

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/ranpoll.v53i1.1477

Palavras-chave:

Expressão idiomática, Termos, Variação

Resumo

Este artigo contribui ao estudo das Expressões Idiomáticas (EI) sob a perspectiva da variação terminológica. Objetiva verificar a hipótese de que essas construções (relativamente) fixas apresentam graus de variação, que ocorrem em função do contexto, com manutenção ou alteração do sentido. A variação a que as EI são passíveis não se relaciona meramente às adequações número-pessoais, mas também ao contexto discursivo, que atribui uma (pen)última camada em sua estrutura de significação. O constructo teórico que embasa esta pesquisa apoia-se na Teoria Comunicativa da Terminologia (TCT), pois comporta a possibilidade de variação e considera o termo como um componente da língua exposto a influências internas e externas. Dentre as inferências a que se pôde chegar estão: (i) a variação nas EI ocorrem em diferentes níveis de equivalência conceitual em relação à EI referência; (ii) há certa (co)relação entre o sentido literal das partes que compõem a EI; (iii) o contexto discursivo, agente de variação, acrescenta uma camada de sentido à EI.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fabiane de Oliveira Alves, Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil

Doutora em Letras (USP).

Referências

ALMEIDA, G. M. B. A Teoria Comunicativa da Terminologia e a sua prática. Alfa, n. 50, v. 2, 2006.

ANDRADE, C. D. Tem cada uma na vida. Boca de luar. Rio de Janeiro: Record, 1984.

ANDRADE, C. D. Recalcitrante. 70 historinhas. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 1978.

ANDRADE, M. L. C. V. de O. Interatividade na correspondência publicada em jornais paulistas. Forma y Función. v. 23, n. 2, 2010.

BIDERMAN, M. T. C. Teoria linguística: teoria lexical e computacional. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

CABRÉ, M. T. C. La terminologia: teoria, metodologia, aplicaciones. Barcelona: Antártida/Empúries, 1993.

CABRÉ, M. T. C. Terminología: representación y comunicación. Elementos para una teoría de base comunicativa y otros artículos. Barcelona: Institut Universitari de Lingüística Aplicada, Universitat Pompeu Fabra, 1999.

CABRÉ, M. T. C. Theories of terminology: their description, prescription and explanation. Terminology, v. 9, n. 2, p. 163-200, 2003.

CABRÉ, M. T. C. El principio de poliedricidad: la articulación de lo discursivo, lo cognitivo y lo linguístico em terminologia. Ibérica. n. 16, 2008.

CRUSE, D. A. Polyssemy and related phenomena. In: SAINT-DIZIER, P; VIEGAS, E. (eds.). Computational lexical semantics. Cambridge, United Kingdon, Cambridge University Press, 1995.

DUARTE, M. S. de A. As Expressões Idiomáticas na língua e no discurso – um olhar sobre as crônicas de Miguel Esteves Cardoso. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Porto, 2006.

ERMAN, B.; WARREN, B. The idiom principle and the open choice principle. Text. n. 20, v. 1, p. 29-62, 2000.

ESCRITO A TINTA. A filha do chefe. Em busca do amor – parte 5, out. 2010. Disponível em: https://escritoatinta.wordpress.com/category/rascunhos/. Acesso em: 14. abr. 2021.

FEBRE FILMES. Erro coloca credibilidade de BBB12 em maus lençóis. Blog Febre Filmes. 27 mar. 2012. Disponível em: http://febrefilmes.blogspot.com/2012/03/erro-coloca-credibilidade-de-bbb12-em.html. Acesso em 13 abr. 2021.

FERNÁNDEZ-SILVA, S. Variación terminológica y cognición: factores cognitivos en la denominación del concepto especializado. Tesi. Universitat Pompeu Fabra: UPF/ANY, 2010.

FREIXA, J. La variació terminològica: anàlisi de la variació denominativa en textos de diferent grau d’especializació de l’área de medi ambient. Tesi. Barcelona, Universitat de Barcelona: Barcelona, 2002.

HALL, S. Da diáspora: identidade e mediações culturais. Belo Horizonte, Editora UFMG, Brasília, representação da Unesco no Brasil: Humanitas, 2003.

HJELMSLEV, L. Prolegômenos a uma teoria da linguagem. Série Estudos. São Paulo: Perspectiva, 1961.

KOSTINA, I. Classificación de la variación conceptual de los terminos basada en la modulación semántica discursiva. Lenguaje y cultura, v. 16, n. 27, 2011.

KRIEGER, M. G.; FINATTO, M. J. B. Introdução à terminologia: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2004.

MELLO, N. C. Conversando é que a gente se entende: dicionário de expressões coloquiais brasielrias. São Paulo: Leya, 2009.

ROSSI, C. Em Cuba, papa pisará em ovos. Folha de S. Paulo. Colunistas. 18. set. 2015. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/2015/09/1683511-em-cuba-papa-pisara-em-ovos.shtml. Acesso em: 14. abr. 2021.

SÁNCHEZ, M. T. Una perspectiva situada de la variación denominativa. Debate Terminológico. S/l. n. 9. 2013. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/riterm/article/view/37173. Acesso em: 14. abr. 2021.

URBANO, H. Dicionário brasileiro de expressões idiomáticas e ditos populares: desatando nós. São Paulo, Cortez, 2018.

VILELA, M. As Expressões Idiomáticas na língua e no discurso. Actas do Encontro Comemorativo dos 25 anos do CLUP. CLUP, v. 2, Porto, 2002.

YAHOO NOTÍCIAS. Não entre em pânico, mas cientistas afirmam que o universo está morrendo. fev. 2016. Disponível em: https://br.noticias.yahoo.com/n%C3%A3o-entre-em-p%C3%A2nico-mas-cientistas-afirmam-que-o-121112468.html. Acesso em: 14. abr. 2021.

XATARA, C. M. O campo minado das expressões idiomáticas. Revista Alfa, v. 41, 1997.

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

Alves, F. de O. (2022). Expressões idiomáticas e variação terminológica: possíveis interfaces. Revista Da Anpoll, 53(1), 146–160. https://doi.org/10.18309/ranpoll.v53i1.1477

Edição

Seção

Estudos Linguísticos (2022)