Os outros: o melhor de mim sou eles (encontros, acasos e silêncios na escritura de Manoel Barros)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v51i3.1389

Palavras-chave:

Literatura e Alteridade, Literatura e o Indizível, Literatura e Silêncio, Escritura

Resumo

Este trabalho analisa a maneira como a alteridade se inscreve na obra de Manoel de Barros, especificamente, no poema “Lições de R.Q”, integrante da seção “Os Outros - o melhor de mim sou Eles”. Tomando-se por base procedimentos artísticos de Rômulo Quiroga nas artes plásticas e a poesia de Manoel de Barros, o estudo enfoca o encontro destas duas identidades:  a do eu-lírico e a do artista plástico. Pode-se afirmar que este encontro resulta na evocação de tempos e espaços recônditos e, simultaneamente, latentes diante das feições por meio das quais ambos se edificam como alteridades inatingíveis e indizíveis, conforme conceituam Emmanuel Lévinas e Maurice Blanchot.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Valdegilson da Silva Costa, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, São Paulo,

Mestrando em Literatura e Crítica Literaria pela PUC - SP, Graduado em Letras pela Fundação São Paulo ( UNIFAI ).

Vera Lúcia Bastazin, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, São Paulo,

Doutora em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP, Professora Orientadora do curso de Pós-graduação em Literatura e Crítica Literária, Coordenadora do Grupo de Estudos da Narrativa. Atualmente, desenvolve pesquisas relacionadas à tematica da Alteridade nas Literaturas Brasileira e Portuguesa.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Costa, V. da S., & Bastazin, V. L. (2020). Os outros: o melhor de mim sou eles (encontros, acasos e silêncios na escritura de Manoel Barros). Revista Da Anpoll, 51(3), 148–156. https://doi.org/10.18309/anp.v51i3.1389

Edição

Seção

Estudos Literários (2020)