William Blake e as vozes proféticas da tradição dissidente

Juliana Steil

Resumo


Em Fearful Symmetry, Frye menciona a necessidade de desfazer o “mito de que Blake é uma anomalia literária” (FRYE, 1990, p. 147). Considerando que persistem ressonâncias deste mito, este artigo explora a afinidade entre a obra poética de William Blake e a tradição dissidente inglesa, uma relação raramente discutida pela crítica do poeta no Brasil. O artigo revisa a literatura existente sobre o assunto e, destacando os trabalhos de Mee (1992, 1994, 2003) e de Makdisi (2003), avalia a inclinação antinomiana dos escritos de Blake para explicar as ideias de “profeta” e de “profecia” assumidas em seus poemas proféticos.

Palavras-chave


William Blake; Poesia profética; Tradição dissidente; Radicalismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v47i1.1178

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 Juliana Steil

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.