A noção de corpo em Saussure e em Freud: um encontro paradoxal

Glória Maria Monteiro Carvalho, Maria de Fátima Vilar Melo

Resumo


Propomos, neste artigo, indicar um ponto de encontro entre Saussure e Freud no que diz respeito ao lugar ocupado pelo corpo do falante em suas teorias. Para colocar em discussão essa proposta, destacamos que, na perspectiva saussuriana, os sons afetam o ouvido, provocando nesse órgão uma atividade de decisão/de julgamento sobre semelhanças e diferenças (entre sons) ou, em outras palavras, o som impressiona o ouvido. Da perspectiva freudiana, recortamos a memória que possui como noção básica, a de traços mnemônicos, ou seja, a de rastros de impressões sensoriais que estão em constante movimento. Assim, tanto para o pai da linguística como para o pai da psicanálise, a sensação modifica, impressiona o corpo do falante, ou melhor, imprime suas marcas que se articulam, ou se associam. Essa proposta de encontro não é, contudo, pacífica, sem problemas, tanto pelo fato de que o conceito de corpo é nebuloso nos dois autores, como também pelos efeitos de desencontro que, paradoxalmente, ele produz.


Palavras-chave


Saussure; Freud; Corpo; Paradoxo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i45.1125

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 Glória Maria Monteiro Carvalho, Maria de Fátima Vilar Melo

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.