O comportamento sintático-semântico do pronome de terceira pessoa no português brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18309/anp.v1i46.1076

Palavras-chave:

Pronomes, Terceira pessoa, Referencialidade, Sintaxe

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo observar aspectos do comportamento morfossintático e semântico da forma pronominal de terceira pessoa plena no Português Brasileiro (PB), a partir do inventário de traços que a constitui, sob a perspectiva de uma teoria de traços (HARBOUR, ADGER & BÉJAR, 2003). Para tanto, foram observados dados de introspecção do português brasileiro, conforme os pressupostos teóricos da Teoria Gerativa, conforme o Programa Minimalista (CHOMSKY, 1995 e posteriores), os quais permitiram observar que a terceira pessoa plena pode ocorrer em qualquer contexto sintático, que permite apenas leitura definida e específica, exceto em posição de sujeito, que pode assumir leitura definida e/ou específica, ou ainda, nenhuma das duas (caso dos expletivos), e, portanto, terceira pessoa não apresenta comportamento arbitrário, como ocorre com a primeira e a segunda pessoa.  Os resultados mencionados, por conseguinte, apontam para as seguintes conclusões: (a) a geometria de traços da categoria pessoa parece estar relacionada com elementos, em princípio, pós-sintáticos como semântica e pragmática; e (b) a terceira pessoa pode ser a forma pronominal default, em português, pois é o pronome pessoal cuja forma é mais subespecificada, não possui leitura genérica e comportamento arbitrário e é a forma expandida para neutros e expletivos na maioria das línguas humanas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Danniel da Silva Carvalho, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia

Possui graduação em Letras pela Universidade Federal de Alagoas (2004) e doutorado em Letras e Linguística pela Universidade Federal de Alagoas (2008), com período sanduíche na Queen Mary, Univeristy of London, onde desenvolveu também estágio de pós-doutoramento (2014-2015). É professor Associado I da Universidade Federal da Bahia e membro permanente do Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura. É lider do Grupo de Pesquisa A Sintaxe-Phi das Línguas Naturais, certificado pelo Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq desde 2010.Atualmente é associado do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste, colaborador da Universidade Federal de São Paulo, colaborador da Universidade Federal Rural de Pernambuco, pesquisador da Universidade Federal de Alagoas e coordenador do GT - Teoria da Gramática da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística. Desenvolve pesquisas na área da Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: linguística lavanda, gênero e seus aspectos gramaticais e sociais, o sistema de definitude das línguas naturais, traços-phi e seu impacto na morfossintaxe das línguas naturais, sistema pronominal do português e suas interfaces morfossintáticas e sintático-semântica.

Fernanda de Oliveira Cerqueira, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia

Graduada em Letras Vernáculas, na modalidade Licenciatura, da Universidade Federal da Bahia, no período de 2008 a 2011, no qual foram desenvolvidos trabalhos de Iniciação Científica, como bolsista PIBIC - UFBA e PIBIC - CNPQ. Mestre em Língua e Cultura, pelo Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura, na linha Variação da Língua Portuguesa e Teoria da Gramática, no período de 2013 a 2015. Atualmente, Doutoranda, no Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura, da Universidade Federal da Bahia, na linha Variação da Língua Portuguesa e Teoria da Gramática, como bolsista Faspeb. Cumpriu estágio doutoral, como bolsista Capes, através do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior, no Centro de Estudos Linguísticos da Universidade Nova de Lisboa. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando em temas como: teoria da gramática, sintaxe gerativa, variação linguística, sintaxe diacrônica e ensino de gramática.

Downloads

Publicado

2018-10-01

Como Citar

Carvalho, D. da S., & Cerqueira, F. de O. (2018). O comportamento sintático-semântico do pronome de terceira pessoa no português brasileiro. Revista Da Anpoll, 1(46), 83–111. https://doi.org/10.18309/anp.v1i46.1076

Edição

Seção

Edição Especial comemorativa dos 30 anos do Grupo de Trabalho de Teoria da Gramática da Anpoll